A China, o ano novo e um certo vírus

Feliz Ano Novo! Sim, você leu bem, Feliz Ano Novo. Apesar da China seguir o calendário gregoriano no dia a dia, suas celebrações mais tradicionais seguem o calendário lunar, portanto os 354 dias do ano 4719 terminam no dia 31 de janeiro de 2021. 

Eu me lembro da minha ansiedade e decepção ao passar as primeiras festas de final de ano na China, simplesmente pelo fato de não haver nenhuma. Talvez uma tentativa frustrada por parte do comércio, mas as pessoas não entendiam o conceito de Natal e Ano Novo e até hoje não é popular. O meu primeiro ano novo (31 de dezembro) aqui, eu passei sozinha, em casa, e com meia dúzia de fogos de artifício que eu pude ouvir. No dia seguinte era feriado internacional, mas muitos lugares seguiam com a sua rotina normalmente, como se fosse um dia como outro qualquer.

Em janeiro, não demorou muito para que a cidade começasse a ganhar mais tons de vermelho, não só as ruas, mas as casa, o comércio, as roupas. As pessoas trocavam presentes, sorriam e desejavam feliz ano novo uns aos outros, os restaurantes estava sempre cheio com jantares de final de ano. Eu confesso que por mais que eu tentasse entender, era algo estranho. É como se os chineses juntassem Natal e ano novo em uma celebração só.

Parque em Beijing – 2014
Guiyang – Dentro do meu condomínio – 2022

Na véspera do ano novo (chinês), mais um vez eu estava sozinha em casa, pronta para dormir, ainda faltavam quinze minutos para a meia-noite e eu pude ouvir o primeiro estouro de fogo de artifício, foram pelo menos mais 40 minutos de muito barulho e luzes diferentes iluminando a janela do meu quarto. Um misto de alegria pelos dias inesperados de folga (eu sabia muito pouco sobre a China quando eu vim para cá), mas ao mesmo tempo tristeza por saber que todos estavam celebrando com suas famílias e eu estava sozinha mais uma vez.

No dia seguinte eu fui convidada para participar de uma das atividades tradicionais do ano novo, fazer dumplings. Eles me mostraram como fazer a massa, os ingredientes, a textura, o recheio, tudo. Elas ainda deixaram eu tentar fazer alguns, mas não chegou nem perto das mãos habilidosas delas. Claro, que nós comemos e eu ainda pude levar alguns para casa, afinal o ano novo chinês não é um dia de festa, oficialmente são sete, no entanto tem gente que pode comemora por mais tempo, outros menos.

Dumplings
Dumplings

Com o passar dos anos, eu acabei me acostumando a não celebrar tanto o Natal e o Ano Novo e esperar pelas férias que vinham junto com o Ano Novo Chinês. Eu já estava melhor preparada, eu sabia que mesmo os supermercados grandes não estariam abertos no primeiro dia e que o vermelho que já ocupa um espaço significativo na China, ficaria ainda mais intenso.

Além de um ano novo diferente, a China também tem um zodíaco diferente, baseado no ano do seu nascimento e não no mês. O próximo ano que se iniciará em fevereiro é o início do ano do Tigre e eu sou tigre. Eu nunca liguei muito para signo, confesso que sou desconfiada com ascendente em preguiça, mas eu acho que esse ano fui picada pelo bichinho da curiosidade e superstição. 

Segundo meus amigos chineses, durante o ano do seu signo você tem que usar vermelho o ano inteiro, me disseram que pode ser uma ano desafiador e o vermelho atrai sorte, portanto é quase que uma proteção contra qualquer coisa ruim que possa me acontecer esse ano. As pessoas optam por roupas íntimas e meias, porque ninguém precisa ficar sabendo da sua vida particular (acho justo!). E lá fui eu para o shopping online em busca das minhas peças vermelhas e confesso que o mercado de produtos para o seu signo é absurdamente encantador. Existem kits para dar de presente, roupas, joias, decoração, nada fica de fora. 

Quando eu achava que estava preparada e com antecedência, minha irmã chinesa (um assunto para outro dia) disse que minha família tinha que participar da compra das minhas roupas. Eu não tenho certeza se essa parte é verdade, mas eu percebi que foi a forma que ela encontrou de fazer parte desse momento comigo (o que eu realmente agradeço por isso). Além de meias ela também me presenteou com uma tornozeleira vermelha. Acho que vai dar para passar o ano todo de vermelho.

Em 2020, eu voltei de viagem um dia antes do ano novo chinês, era impossível não notar que o clima na cidade era outro, ninguém ainda sabia direito o que estava acontecendo e a proporção que iria tomar. Ainda me lembro, como se fosse ontem, de falar com meus pais e dizer que era uma gripe um pouco mais forte e que nós estávamos usando máscara conforme recomendado (ainda não era obrigatório o uso). A cidade, assim como todo o país demorou a se recuperar, o comércio que havia fechado para as celebrações não abriu na data que os avisos marcavam na porta, a cidade parecia cena de filme, com poucas pessoas e carros nas ruas e a maior parte do comércio fechada.

O ano novo chinês de 2021 foi bastante silencioso e com muito pouco para se comemorar, pouca gente viajou, o comércio não ficou fechado por tanto tempo e parecia que as pessoas ainda estavam tentando se recuperar do choque financeiro e emocional que o vírus trouxe.

Pelo menos onde eu moro hoje, a situação está sob controle há pelo menos um ano. As escolas e o comércio funcionaram normalmente, ainda existem a recomendação para o uso da máscara e o controle sobre as viagens, mas é um novo normal que nós nos acostumamos. Ainda que a recomendação esse ano seja para evitar de viajar, ainda que o vírus ainda esteja por aqui apesar de todas as medidas do governo para que não se torne um problema de mesma proporção ao ano anterior, é possível perceber que a maioria das pessoas encontrou razões para comemorar o ano novo.

A cidade está tomada pelo vermelho, ontem o supermercado estava muito movimentado, as pessoas desejam feliz ano novo umas às outras, tem sempre algum andando com uma ou muitas caixas para presentear no ano novo e pegar táxi e um pesadelo.

Esse ano eu não vou passar sozinha, porque eu tenho a felicidade de ter meu filho morando comigo, eu vou esperar a meia noite para colocar a minha tornozeleira e minha meia vermelha, e mesmo não sendo um feriado que faz parte da minha cultura eu espero poder respeitar as tradições do país que tem sido a minha casa.

Published by Tassia Kespers

Escritora, professora, tradutora, revisora, mãe e exploradora nas horas vagas.

7 thoughts on “A China, o ano novo e um certo vírus

  1. Bom dia,  Tassia… q bom conhecer um pouco mais da cultura chinesa pelas suas crônicas. Muito obrgd. E… Feliz Ano Novo!!!Abs dos tios Jjodas e Ana à vc e ao André. Enviado do meu Galaxy

    Like

  2. Obrigado por compartilhar como a China é com seus leitores. Feliz ano novo ! Só uma curiosidade… Vocês já foram vacinados ? Quantas doses?

    Like

    1. eu nunca usei vermelho aos 12 ou 24 anos, não me lembro de nada muito terrível ter me acontecido. Já imaginou se tivéssemos que seguir as tradições de todos os lugares do mundo, não faríamos nada e, provavelmente, todo dia seria feriado 🙂

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: