(Des)amado II / (Un)loved II

Eu não posso explicaraquilo que é difícil sentir.Não sei mais para onde ir,por que eu insisto em querer te encontrar ? Eu não me achava capaz de amar,mas o que eu sinto agora me diz o contrário.Talvez eu devesse agradecer por tanta dor,mas quem eu quero enganar ? Se é para sofrer melhor nunca ter,seContinue reading “(Des)amado II / (Un)loved II”

O que você fez? / What have you done?

(Please scroll down to read the poem and the introduction translated) Outro dia minha mãe me perguntou onde estavam as poesias que eu escrevi quando era mais nova. Elas deveriam estar em alguma caixa na casa dos meus pais no Brasil, mas a verdade é que eu não tenho certeza. Eu acredito que eu devaContinue reading “O que você fez? / What have you done?”

(Des)amado I / (Un)loved I

Eu permito as lágrimase uma vez mais senti-las,para outra vez tentar esquecer o seu rosto que eu sigo a ver. Eu permito as lágrimasmesmo que eu odeie senti-las,porque o passado é apenas uma memóriae de nós a única coisa que resta é história. Eu permito as lágrimas,ainda que tentando entender,por que o seu toque queContinue reading “(Des)amado I / (Un)loved I”

Amanheceu chovendo / It rained at dawn

Amanheceu chovendo e eu lembrei de quando eu visitei minha tia e ela fez bolinho de chuva porque choveu. Amanheceu chovendo e eu lembrei de quando chovia à tarde e minha mãe fazia café e bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Amanheceu chovendo e eu lembrei que em Goiás tem mês que nunca amanheceContinue reading “Amanheceu chovendo / It rained at dawn”